Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ninita's

Quem sou eu? Simples, sou uma pessoa normal, que vive numa pequena cidade normal. Sou brincalhona, divertida, trabalhadora e muito simples. Na pratica, sou igual a todas as outras pessoas deste mundo. Bem Vindos a este "meu mundo virtual".

Ninita's

Quem sou eu? Simples, sou uma pessoa normal, que vive numa pequena cidade normal. Sou brincalhona, divertida, trabalhadora e muito simples. Na pratica, sou igual a todas as outras pessoas deste mundo. Bem Vindos a este "meu mundo virtual".

13.12.19

Abram alas para o Noddy, que agora vem 4x4

Ninita

 

Porque o gajo, aterrou na Santa Parvalheira.

 

Pois é, depois de muito stress ontem (sim, pq alem dos atrasos do avião, de não ter lugares no comboio, de ter de arranjar quem o fosse buscar a meio do caminho), finalmente chegou.

 

Chegou completamente estoirado. De rastos, mesmo.

 

E eu, pela primeira vez, tive noção de tudo o que aconteceu. Pela primeira vez, percebi, que o que lhe aconteceu foi uma grande sorte.

Sim, caiu. Caiu da varanda do 5.º andar para a varanda do 6.º andar. Uns cm ao lado e a sorte não tinha sido a mesmo. Uns cm ao lado, e provavelmente teria caido, desamparadamente, no chão. Sem apoio. Sem nada.

 

Está danado. Está em baixo. Está triste. Não está o meu gajo. Porque? Porque não consegue fazer nada. So anda apoiado nas muletas e na bota de borracha que tem de por no pé onde rachou o osso. Mas, é dificil. Vestir-se é um martirio. Andar grandes distancias, nem se fala. Subir as escadas de casa (que são 18) é um terror. Tem de parar 3 vezes para chegar ao cimo. E custa-lhe tanto.

 

Ontem, viu-o pessoalmente, pela primeira vez depois da queda e sinto-o tão, mas tão frágil. Aquele homem forte, que leva tudo a frente, que fala aspero e forte e toda a gente acredita que está chateado e por trás, todo maroto, tem 1 sorriso que não se desmacha, nem que esteja a dizer a maior barbaridade do mundo, toda a gente acredita que ele está mesmo chateado. Só eu sei que não e depois rimos os dois, feitos parvos e só depois é que percebem que estavam a levar um baile daqueles. Aquele homem, que pegava ao colo á filha quando chegava, mesmo tendo a filha 11 anos e já não sendo menina de colo. Aquele homem, que quando cá chegava, me roubava as chaves do carro e eu tinha de ir no lugar do pendura todas vezes. Aquele homem, que quando cá chegava, abanava tanto a mãe só para se meter com ela.

 

Agora, está muito diferente. Desanimado. Mas, por fim em casa. E durante mais de 3 semanas, vai ter a filha e a mulher a chatear-lhe a cabeça, para seguir em frente. E não se sentir um invalido.

 

Custa, eu sei. Mas, passo a passo, dia a dia, vais melhorar. Vai demorar. Muito tempo mesmo. Mas o que importa, é que no meio do azar, tiveste sorte e podes agradecer pelo que tens e seguir em frente.

 

Porque nós, vamos estar cá sempre para ti.

 

Da tua Ninita e Rabeta

9 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blog Portugal

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D