Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ninita's

Quem sou eu? Simples, sou uma pessoa normal, que vive numa pequena cidade normal. Sou brincalhona, divertida, trabalhadora e muito simples. Na pratica, sou igual a todas as outras pessoas deste mundo. Bem Vindos a este "meu mundo virtual".

Ninita's

Quem sou eu? Simples, sou uma pessoa normal, que vive numa pequena cidade normal. Sou brincalhona, divertida, trabalhadora e muito simples. Na pratica, sou igual a todas as outras pessoas deste mundo. Bem Vindos a este "meu mundo virtual".

19.06.18

A vida no interior

Ninita

Hoje, ao acordar (depois do sol começar a encadear-me os olhos de tão forte), pensei : eu tenho muita sorte de viver onde vivo.

Adormeço a ouvir os sapos a coachar e acordo a ouvir os passaros a chilrear. Demoro 5 min a chegar ao trabalho e não apanho quase transito nenhum, tenho um jardim a porta do trabalho, onde posso-me sentar a sombra a hora de almoço a refrescar um pouco, não pago o estacionamento onde deixo o carro para vir trabalhar (ainda é de borla). Ao fim de semana, posso ir a uma praia fluvial aqui da zona, podemos ir a Serra da Estrela de Verão e de Inverno. Podemos andar na rua a noite, sem problema, pois não passam carros, nem há malucos a acelerar feitos doidos.

 

 Viver no interior, tem os seus beneficios e as suas devantagens. A grande desvantagem é sem duvida o estarmos isolados de tudo. Se precisamos de ir a um centro comercial, lá temos nós de fazer 80km para cada lado, para chegarmos a uma cidade maior. Se queremos ir ao cinema (cinema a serio e não uma sala com 50 lugares, que passam os filmes depois de já terem passado na tv), temos os mesmos 80kms. Se temos de ir a um hospital em condiçoes (e não umas urgencias que nem existem), lá vamos nós fazer os tais 80kms.

Aqui, há sem duvida, uma qualidade de vida superior a nivel de natureza, mas somos tão prejudicados no resto.

Há uns tempos, na minha zona houve imensos protestos para se concluir uma estrada complementar (IC) que nos ajudava imenso, já que estradas não temos e a resposta do governo foi que não se construia nem se concluia nada. Que não era prioridade. O que era prioritario era mais uma autoestrada entre Lisboa e Porto que sao zonas que nem acessos tem, de certeza e que a nossa zona não precisava de nada. Para estarmos era caladinhos, porque o que temos, chega e sobra.

Sim, chega e sobra. Chega para a cada dia que passa haver mais emigração. Os jovens da minha idade, onde estão? Pois, no estrangeiro. Os mais novos do que eu, que foram tirar os seus cursos fora voltaram? Não. A grande parte ficaram nas grandes cidades que os formaram e já nao regressaram a santa terrinha. E porque? Porque aqui não há empregos, não há grandes possibilidades de fazer alguma coisa sem ser numa fabrica de confeçoes e ate nessas ha falta de trabalho.

Continuo a dizer que adoro a minha "santa parvónia", a sua calma, a sua tranquilidade, mas podemos sempre pedir um pouco mais, certo?

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Quem me visitou

contador grátis

Blog Portugal

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D