Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ninita's

Quem sou eu? Simples, sou uma pessoa normal, que vive numa pequena cidade normal. Sou brincalhona, divertida, trabalhadora e muito simples. Na pratica, sou igual a todas as outras pessoas deste mundo. Bem Vindos a este "meu mundo virtual".

Ninita's

Quem sou eu? Simples, sou uma pessoa normal, que vive numa pequena cidade normal. Sou brincalhona, divertida, trabalhadora e muito simples. Na pratica, sou igual a todas as outras pessoas deste mundo. Bem Vindos a este "meu mundo virtual".

07.12.20

O meu adeus a 2020

Ninita

 

O ultimo ano (mais precisamente desde Novembro de 2019), a minha vida deu literalmente uma volta de 180graus, em que fiquei completamente, de cabeça para ao contrário. Mesmo ao contrário. E sinceramente, não sei se algum dia, vai ficar novamente no sitio correcto.

 

Começou com o acidente do gajo, em França. Caiu da varanda de um 5.º andar. Teve sorte. Conseguiu agarrar-se a uma grade e cair no 4.º andar. Lixou a perna, o pe, o musculo, o osso. 1 ano passou e ainda lá ficou muita coisa por tratar. Medicos, exames, fisioterapia, muletas, talas, etc, etc. Foram precisos 2 meses para deixar as muletas e andar sem elas. Mas ainda agora, as dores ainda lá continuam.

 

Depois veio o filho da puta deste virus, que ja me mete nervos. E o meu trabalho foi-se. Em casa durante meses e meses, sem fim. Cortes no ordenado, ate não poder mais. Mas as despesas continuam as mesmas. A casa continua para pagar, a agua, luz, alimentação, tudo esta mais caro e tudo se gasta mais, com tanto tempo em casa.

 

Depois foi a vez da minha mãe. O choque daquele dia 24 de Abril, as 07h25. As palavras que nunca vou esquecer. A conversa que ficou para sempre gravada na minha memoria. A ficha que teima em não cair e que continua cá, presa por arames. O horror do dia 25 Abril, as 11h00. A memoria, a dor, a raiva, a incompreensão. 7 meses passaram e esta tudo pior em vez de melhorar. Nada ajuda. Nada acalma. Nada ajuda a superar.

 

Depois perdi uma pessoa amiga. Alguem que me era tão querida, deixou de o ser. E tudo, por não ter coragem suficiente, para ser verdadeira, honesta, direta. Afinal, tantos anos de "amizade" de um só lado. Afinal, tantos anos, de uma grande e enorme mentira, tão bem construida, ao ponto de tudo se desabar de repente e nem 1 simples pedido de desculpas, ser capaz de fazer. Assim são as pessoas. Falsas. A criarem mundos de ilusão, a volta das suas mentiras, das suas falsidades. Quando na hora H, em que são confrontadas, nem 1 simples explicação sabem dar, porque tudo o que vivem, é na mentira. Coisa horrivel de compreender. Mas no final, um dia, alguem lhes vai fazer o mesmo e acredito, do fundo do coraçao, que um dia, vão pegar no telefone e pedir desculpa a toda a gente que magoaram. Porque um dia, o feitiço vai-se virar contra o feiticeiro. E aí, quem se vai rir, vou ser eu. 

 

Depois o avô. Oh avô! Logo agora?? Eu sei que estavas cansado. Já eram 91 anos. E tanto que trabalhaste. Tanto que plantaste na quinta e ate com a muleta de um lado e a enxada no outro, nada te impedia de ires tratar das batatas, das couves, das cebolas, dos tomates, de tudo. O que tu querias era andar na terra, a tratar das tuas coisas. Mas agora, já estás em paz. Ao lado da minha mãe, da tua nora.

 

Este ano pode ainda não ter acabado. Mas para mim, já terminou. Não ha mais nada a fazer. Não ha vontade de comemorações, não ha alegria verdadeira. Ha sorrisos forçados mas que ninguem percebe da força que estamos a fazer para que pareçam verdadeiros. Não há vontade de fazer nada, mas vamos-nos arrastando para ninguem perceber que nem um A nos apetece fizer.

 

Este ano, mostrou-me tudo o que de mau podia mostrar. A falsidade das pessoas, a mentira, a dor que podem infligir, a indiferença.

 

E é triste, tão triste.

 

Espero que 2021, venha melhor. Desejo que venha melhor. Porque se for parecido a 2020, não sei o que vai acontecer. Mas sei, que o meu mundo, nunca mais vai ser o mesmo e com muita dificuldade se vai erguer.

 

Por isso, despeço-me já de 2020. Para mim, ja morreste e foste enterrado. Porque eu, não aguento mais este ano.

 

 

 

 

31.07.20

Maravilhas do fdp covid

Ninita

 

Voltar ao nosso trabalho, para alguns, é um tormento. Para mim, é uma alegria. 

 

Sou agente de viagens, com muito gosto. Sei que a grande parte das pessoas acha uma profissão desnecessária e pouco importante e que ganhamos rios de dinheiro em comissões e assim, mas não é nada disso. 

 

Trabalhamos muito. Tentamos arranjar soluções de voos, quando não as há. Lutamos que nem doidos contra centrais que têm preços especiais e que são barrados as agências. Passamos por aldrabões, por ricos, por querer ganhar o dinheiro todo, quando o que ganhamos numa venda, não chega para pagar um dia de trabalho. Passamos por tudo e mais alguma coisa e só quem conhece os meandros do negócio, sabe do que falo. Do difícil que é. 

 

Já pensaram, que se forem a um advogado, pedir uma opinião ou um orçamento para qualquer coisa, pagam pelo serviço?

E quantas vezes, pediram preços, orçamentos para 300 sítios diferentes e depois de dias de trabalho, nem resposta dão, nem um obrigado, nem uma taxa de serviço pagam?

 

Se conseguem mais barato na Internet? As vezes conseguem. Mas, perdem o vosso tempo, tal como nos. E fazemos tudo de borla.

E quando nos ligam, as tantas da noite, ao fim de semana, natais e fins, pq compraram 1 bilhete na net e não receberam no mail? E nós, q não temos nada a ver com isso, deixamos tudo e ajudamos a resolver. A custo 0. Ou então quando ligam, pq deixaram 1 bola no hotel e querem q liguem os só hotel, pq se ligarem vocês, pagam a chamada e assim pagamos nos? 

Depois de 4 meses e meio voltei a minha casa. Ao meu trabalho. E é tão triste. Não fiz nada, todo o santo dia. Dei informações de borla, a pessoas que nem sequer se dignaram a pedir-me o preço e foram comprar na net, pq só queriam era a minha informação. Vi todas as informações de entradas e saídas dos vários países. Temos de saber tudo. E para que? Para nada.

 

As vendas desceram 80%. Como é possivel sobreviver? Como é possível levantar uma casa com mais de 30 anos, quando nada nos ajuda? Pagamos os impostos todos à tempo e horas, fazemos tudo certo. Não devemos nada a ninguém. E no final de contas, estamos literalmente na merda. É tão revoltante.

 

Por isso, da próxima vez que forem a uma agência de viagens pedir preços, pensem bem no trabalho que as pessoas estão a ter a custo 0. E se tiverem mais barato, questionem se não conseguem a mesma coisa. Se a agência conseguir (as vezes a ter de ver em 300 sítios diferentes), a agência faz. Senão conseguir, também vos diz.

 

No final, perguntem se devem alguma coisa pelo trabalho todo que fizeram. Não vos cobram, mas fica bem. 

 

E um obrigado também fica. 

 

Por isso, fica um conselho, que vale o que vale. A próxima vez que forem marcar na booking, vejam numa agência em Portugal, em vez de um operador que tem o dinheiro em paraísos fiscais e que nem contribui para o vosso país. Porque neste momento, o que interessa, é reerguer o nosso país e não o país dos outros. 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blog Portugal

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub